Grupo de Pesquisa Espaço Semiótico da Cultura Audiovisual (CNPq - ECA - USP)

collage_esca_7.png

semiótica da
imprevisibilidade

26, 27 e 28 de Outubro de 2022
Conferência Presencial e Online

Seminário Internacional de Celebração
do Centenário de Iúri Lotman (1922-2022)

lotman4.png
apresentação

Semiótica da imprevisibilidade constitui uma proposta de estudo no campo da Semiótica da cultura que visa examinar os trabalhos de Iúri Lotman dedicados ao entendimento dos mecanismos da cultura em seus processos dinâmicos de geração de novos sentidos, novas mensagens, novas informações.

 

Desde seus primeiros trabalhos, publicados no fim dos anos de 1960, Lotman dedicou-se à compreensão da geração do processo de significação que, na cultura, acontece pela renovação de suas linguagens. A emergência do novo, do imprevisível,  se tornou condição imprescindível das novas percepções e modos de ver o mundo no próprio funcionamento da cultura.

 

O Seminário aqui proposto objetiva adentrar no campo do estudo da imprevisibilidade que Lotman esmiuçou ao longo de sua vida e sempre em boa companhia. Muito cedo, reconheceu o papel fundamental da arte nas experiências transformadoras da cultura e, sobretudo, na modelização de processos culturais que pela sua capacidade de intervenção e de transgressão, desenvolveu a consciência do sensível como modo de desestabilização de padrões consagrados. Percebeu, igualmente, que coube à ciência do século XX introduzir mecanismos metasemióticos de transformação de comportamentos, instaurando desequilíbrios em meio a processos da aparente normalidade histórica.

 

Perspectivas teóricas dessa natureza alimentaram a compreensão de Lotman do dinamismo cultural como um sistema aberto a mudanças e contingências, o que o aproximou das descobertas do cientista russo-belga, Iliá R. Prigogine. Enquanto Prigogine trabalhara no campo da termodinâmica de processos irreversíveis sistematizados na teoria das estruturas dissipativas, Lotman se voltava para a conduta humana cujas atuações se orientam por decisões de consciência capazes de escolher caminhos sobre os quais não exerce nenhum controle. Com isso entendeu que os comportamentos humanos também estão sujeitos aos processos irreversíveis e que a imprevisibilidade contribui para a emergência de possibilidades inusitadas de sentidos, garantindo, em última análise, a preservação do dinamismo da cultura.

 

A Semiótica da imprevisibilidade responde à linha investigativa que se constituiu a partir de tais metalinguagens artísticas e científicas dos processos culturais na história humana. A própria comunicação semiótica passa a ser redimensionada segundo a dinâmica interativa entre a arte, ciência, tecnologia e  muitos outros mecanismos metaculturais em devir.   

 

Um marco significativo neste sentido foram os trabalhos desenvolvidos a partir do estudo da Semiosfera (1984). Assimetrias, heterogeneidades, irregularidades dos espaços semióticos de fronteiras ocupam o primeiro plano das formulações de Lotman sobre a dinâmica da cultura, articulando estudos realizados antes dos anos de 1970. Tal dinâmica foi tema de seus dois últimos livros Cultura e Explosão e Mecanismos imprevisíveis da cultura (póstumo).

 

Os estudos sobre os processos modelizantes da cultura, da multiplicação de códigos e linguagens em diferentes textos, e mesmo da memória como dispositivo de renovação, se enriqueceram ao serem examinados pela perspectiva dos encontros culturais em fronteiras espaço-temporais. Também foi possível dimensionar os  problemas de comunicação e conflito em contextos de alteridades (étnicas, raciais, geopolíticas) que só aumentam a combustão das assimetrias. E o quadro das interações interculturais explicitam confrontos de intraduzibilidade nos vários hibridismos da intermidialidade sempre crescente.

 

Tais são alguns dos ângulos temáticos possíveis da Semiótica da imprevisibilidade aqui proposta como objeto de reflexão semiótica da cultura a partir do legado de Lotman. Espera-se assim celebrar a coerência do pensamento semiótico que nunca hesitou em acolher a suspensão da causalidade e a instauração da imprevisibilidade como parte do processo histórico que, uma vez interrompido, não muda o vetor da irreversibilidade e inviabiliza o retorno ao estágio anterior. Adotar a perspectiva da imprevisibilidade é demanda da consciência histórica não determinista – o grande desafio epistemológico do legado lotmaniano. Como ele próprio formulara na citação tomada como leitmotiv ao Seminário proposto.

 

Este é mais um motivo para celebrar o centenário daquele que foi um visionário dos movimentos que ele viu progredir no final do século XX e que  assombra agora os sobreviventes do século XXI.

 

O Seminário aqui proposto espera colher frutos das sementes lançadas pela astúcia semiótica do pensamento de Iúri Lotman.

 

Para tanto, as comunicações e os trabalhos do evento estarão relacionados a debates que incluem os seguintes tópicos:

∙   Transformações críticas do pensamento semiótico lotmaniano

 

∙   Contexto político da tradução e da recepção de Lotman no ocidente

∙   Conceito lotmaniano de imprevisibilidade em diálogo com seus pares e com outros sistemas teóricos

∙   Imprevisibilidade no movimento causal do processo histórico

∙   Cultura como sistema de complexidade

∙   Encontros culturais em fronteiras espaço-temporais

∙   Processos culturais e artísticos segundo a lógica da explosão

∙   Progresso tecnológico como agente de desestabilização

∙   Semiose do medo e dos processos históricos de irracionalidade

∙   Caos e ordem nos limites da semiosfera

∙   Imprevisibilidade e explosão na cultura tecnológica-algorítmica

∙   Memória da cultura como mecanismo informacional

∙   Confrontos de intraduzibilidade em hibridismos da intermidialidade

∙   Indeterminismo da comunicação em contextos de alteridades e de «outridades» sócio-culturais

∙   Causalidade e irreversibilidade dos processos explosivos

 

 

Irene Machado

 

Semiótica da Imprevisibilidade

Seminário Internacional de Celebração do Centenário de Iúri Lotman (1922-2022)

Universidade de São Paulo – Escola de Comunicações e Artes

Grupo de Pesquisa Espaço Semiótico da Cultura Audiovisual

Data: 26, 27 e 28 de outubro de 2022